aniversário

hoje dou-me um presente
dou o que tenho latente
no dia do meu aniversário
abro minha mente
libero meu estuário

não há o que possa comprar
que possa me fazer tão feliz
quanto uma lembrança sincera de um amigo
são coisas que não posso fazer só, cá comigo.

então pensei em abrir meu coração
fazer um poema, que no mundo
é minha forma de fazer uma oração

uma reza simples assim, sem rebuscamentos
mais de louvor ao caminho percorrido
uma reza simples assim, de agradecimentos

escrevo para o mundo, com a pretensão de ser ouvido
mas às vezes, como hoje, escrevo para mim
para que eu mesmo me faça me sentir querido

É meu aniversário!

psicografo, nesse instante — e de rompante! —
as felicitações de um eu, que sou eu mas não sou eu,
e que comemora comigo uma parceria brilhante.



 


Buscar