seria errado?

 

o menino cresce e seus olhos transfiguram a tia que o pegava no colo e fazia a arrumação da casa.

de repente há uma mulher que se agacha aqui e ali com roupas finas e folgadas, de tão surradas

ineditamente uma gota de suor mergulha destemida do queixo para o centro do decote

e a mulher – ainda – não suspeita da delícia
que na mente do molecote é a malícia

ele sonha, todo dia,
com um uma fresta de porta, um buraco de fechadura…
sonha enfim com um momento de sorte

até então é linda e pura essa adoração

não tendo o filho mal exemplo de criação
saberá o que há do lado de lá
da fronteira da tentação

e recolherá para seus sonhos, homenagens e recordações, as curvas da mulher dos esfregões…

não há mal nenhum, acredite:
é lindo quando um homem encontra uma Deusa,
uma Afrodite.



 


Buscar